WMP Brasil apresenta Método Wolbachia em eventos sobre arboviroses no Rio e em Belo Horizonte

Por: Flávio Carvalho

O líder do projeto World Mosquito Program no Brasil (WMP Brasil), Luciano Moreira, apresentou o Método Wolbachia em dois eventos na última semana, no Rio de Janeiro (RJ) e em Belo Horizonte (MG). O eventos tinham como foco apresentar novas formas de controle de arboviroses nestas cidades. 

No dia, 13, no Congresso "E-Vigilância", realizado no Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet-RJ), Maracanã, Rio de Janeiro (RJ), Moreira mostrou dados da operação no Rio de Janeiro e Niterói, na palestra "Inovação no controle de arboviroses". Em Belo Horizonte (MG), dia 14, no "Seminário Estadual sobre Arboviroses", além de falar dos resultados já obtidos com o uso da bactéria Wolbachia, o líder do WMP Brasil explicou como será a implementação do método no município.   

Durante sua fala, o líder do WMP Brasil, apresentou o andamento do projeto nos municípios do Rio e Niterói, explicando as etapas de implementação. Se você quiser saber como anda o estabelecimento dos Aedes aegypti com Wolbachia, basta clicar aqui. Luciano Moreira também falou sobre a expansão do Método para os municípios de Campo Grande (MS) e Petrolina (PE), que ocorre com o apoio do Ministério da Saúde. 

O Método Wolbachia é uma forma inovadora e autossustentável que utiliza os próprios mosquitos transmissores das arboviroses para o controle destas doenças. "Dados preliminares mostram que as regiões que atuamos tiveram, nessa epidemia de chikungunya neste ano, em Niterói, menos casos notificados da doença que nos bairros que não receberam os Aedes aegypti com Wolbachia”, informou Luciano Moreira. A previsão é que até 2022 seja divulgado um estudo sobre o impacto epidemiológico da iniciativa nestes dois municípios fluminenses. 

O E-Vigilância é uma conferência nacional interdisciplinar sobre inovação na vigilância de doenças transmissíveis. O tema desse ano foi ”Inovações para o monitoramento e controle de arboviroses”. Já o "Seminário Estadual sobre Arboviroses" é destinado a profissionais das regionais de saúde, e tem como objetivo alinhar ações de controle e orientar sobre medidas, fluxos e protocolos de respostas às doenças.