Liderança comunitária do Complexo do Alemão (foto: Flávio Carvalho/arte: Júlia Parente)
Engajamento Comunitário realiza atividade em escola do Rio de Janeiro na Semana de Cobate às Arboviroses (foto: Flávio Carvalho)
Equipe de Diagnóstico analisa mosquitos capturados nas armadilhas instaladas nos imóveis dos voluntários (foto: Flávio Carvalho)
Arthur participa de evento promovido pelo WMP Brasil no Horto do Fonseca, em Niterói (foto: Flávio Carvalho)
Liberação de Aedes agypti com Wolbachia no Campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) (foto: Flávio Carvalho)

WMP Brasil

Fique por dentro das notícias mais recentes sobre o WMPBrasil e o Método Wolbachia, uma iniciativa inovadora de combate às doenças transmitidas por mosquitos, como dengue, Zika, chikungunya e Febre Amarela urbana. 

 

Processo Seletivo Simplificado WMP Brasil / Fiocruz

Em 09 de julho de 2020, o World Mosquito Program (WMP) torna público o resultado da chamada 01/2020.

Link para retificação do resultado final: https://bit.ly/3ehfoSN

Link para resultado final: https://bit.ly/2Zc5UDW

Link para resultado da entrevista: https://bit.ly/2AN5DOA

Link para nova convocação para entrevista: https://bit.ly/2ZDX3Ku

Link para nova convocação para entrevista: https://bit.ly/2BvXv5v

Link para o resultado da Análise Curricular: https://bit.ly/3ioe57T

Link para a retificação da chamada 01/2020: https://bit.ly/38DwUzy

 

WMP Brasil/Fiocruz retoma liberação de mosquitos que combatem a dengue

A partir da próxima segunda (22), as liberações de Aedes aegypti com Wolbachia serão retomadas em três bairros do Rio de Janeiro, após três meses de suspensão desta atividade. A retomada será gradual e começará pelos bairros de Ramos, Olaria e Bonsucesso. As liberações serão feitas durante 16 semanas, sempre no período da manhã, por meio do mesmo veículo utilizado anteriormente, identificado como SAÚDE FIOCRUZ.  Não há interação entre os técnicos do WMP Brasil/Fiocruz e a população.

"Durante o período de suspensão das atividades de campo, nossas equipes mantiveram as ações para manutenção da colônia de Aedes aegypti com Wolbachia, respeitando as orientações de segurança e higiene das autoridades de saúde. Além disso, estamos trabalhando em inovações para assegurar que a liberação de mosquitos com Wolbachia, bem como seu monitoramento, possam ser realizados com segurança, diante deste cenário de pandemia. Não podemos esquecer que as arboviroses continuam circulando, mesmo durante a pandemia, e por isso é importante reativarmos a liberação dos Aedes aegypti com Wolbachia", destaca o líder do Método Wolbachia no Brasil e pesquisador da Fiocruz, Luciano Moreira. 

O Método Wolbachia do WMP Brasil/Fiocruz é seguro. Os mosquitos que carregam a bactéria Wolbachia não foram modificados geneticamente, não transmitem doenças e ajudam no combate à dengue, zika e chikungunya. Lembrando que o coronavírus é transmitido apenas através das gotículas de saliva e secreções de pessoas contaminadas. O Aedes aegypti não transmite esse vírus. 

As atividades de monitoramento dos Aedes aegypti com Wolbachia, por meio das armadilhas do tipo BG instaladas nas residências e comércios de voluntários, ainda permanecerão suspensas, pois envolvem a interação dos técnicos do WMP Brasil / Fiocruz com a população. Estas ações serão retomadas assim que houver orientações das autoridades de saúde. 

Outras ações de monitoramento, realizadas em parceria com o município do Rio de Janeiro através da malha de ovitrampas (recipientes que coletam ovos do mosquito) existente, já foram iniciadas no final do mês de maio.